MPF e DPU cobram melhorias no serviço de cirurgias cardíacas no Piauí



Atualmente somente dois hospitais, um público e um privado, realizam essas cirurgias
O Ministério Público Federal (MPF) no Piauí e a Defensoria Pública da União (DPU) no Piauí ajuizaram ação civil pública, com pedido de liminar, contra a União; o Estado do Piauí; o Município de Teresina; a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH); o secretário estadual de Saúde do Piauí, Florentino Alves Veras Neto; o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Charles Carvalho Camilo da Silveira, o superintendente do Hospital Universitário (HU/UFPI), José Miguel Luz Parente.
A ação, de autoria do procurador da República Kelston Pinheiro Lages e do defensor público da União Edilberto Alves da Silva, tem como base o Inquérito Civil nº 1.27.000.001247/2018-37, instaurado com o objetivo de apurar a precariedade no serviço de cardiologia, especificamente cirurgias cardiológicas, no estado do Piauí, pela carência assistencial do serviço, uma vez que somente o Hospital São Paulo (da rede particular) e o Hospital Universitário (da rede pública) realizam cirurgias cardíacas e seriam os dois únicos hospitais a cobrir toda a demanda do estado, já que o Hospital Getúlio Vargas não realiza nenhum procedimento de intervenção cirúrgica.
O procurador da República Kelston Lages e o defensor público da União Edilberto Alves levaram em consideração dois aspectos no que se refere ao tema: a precariedade do serviço de cardiologia e cirurgias cardíacas em adultos e a do serviço de cirurgias cardíacas em recém-nascidos diagnosticados com cardiopatia congênita no Estado do Piauí, comprovadas no bojo do referido Inquérito (provas documentais e testemunhais).
Sobre a precariedade do serviço de cardiologia e cirurgias cardíacas em adultos, segundo informações prestadas pela Fundação Municipal de Saúde que Teresina possuía 5 serviços que realizavam cirurgias cardíacas: Hospital São Marcos, Hospital Santa Maria, Casa Mater, Hospital São Paulo, Hospital Universitário – HU. Os hospitais São Marcos, Santa Maria e Casa Mater suspenderam seus atendimentos pelo SUS, restando apenas o Hospital São Paulo e o Hospital Universitário, com baixa produtividade. 
Segundo informações obtidas, em 2014, o Estado realizava 140 cirurgias cardíacas por mês, porém hoje só são realizadas 30 cirurgias pelo HU e São Paulo juntos, levando os pacientes a morrerem em casa sem atendimento.
A ação tramita na 5ª Vara da Justiça Federal sob o nº 1003514-74.2018.4.01.4000.
Confira a ACP na íntegra em www.mpf.mp.br/pi
Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal no Estado do Piauí
Share on Google Plus

About Cleidiomar Sousa

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Comments

Featured