Golpe no Whatsapp para consulta ao PIS afeta mais de 200 mil pessoas

 Site falso aproveita notícia real do pagamento do PIS-Pasep em 2019.
Luciana Maline/TechTudo/ Meio Norte
Bem vindo ao Player Audima. Clique TAB para navegar entre os botões, ou aperte CONTROL PONTO para dar PLAY. CONTROL PONTO E VÍRGULA ou BARRA para avançar. CONTROL VÍRGULA para retroceder. ALT PONTO E VÍRGULA ou BARRA para acelerar a velocidade de leitura. ALT VÍRGULA para desacelerar a velocidade de leitura.Play!Ouça este conteúdo0:00100%AudimaAbrir menu de opções do player Audima.
Um novo golpe no WhatsApp usa como isca uma suposta consulta ao "PIS salarial". Cibercriminosos estão usando o mensageiro para espalhar um site mal-intencionado que promete revelar ao usuário se ele tem direito ao saque do benefício. O valor propagandeado é de R$ 1.223,20. A farsa foi identificada pela PSafe, que já fez mais de 200 mil detecções em pouco mais de 24 horas. O objetivo do ataque é atrair pessoas para uma página com anúncios publicitários – o que gera receita ao autor do crime.
A farsa aproveita a repercussão do pagamento do sétimo lote do abono do PIS-Pasep 2019, que teve início dia 17 de janeiro. O valor real pago pela Caixa Econômica Federal, porém, é de no máximo R$ 998.
Ao cair no site mal-intencionado, a vítima se depara com uma série de perguntas sobre sua vida funcional e de contribuição com a previdência. No final, o sistema falso afirma que a pessoa tem direito ao saque, e pede para que ela compartilhe a mensagem com seus contatos para poder receber o valor.
O objetivo deste ataque é redirecionar uma grande quantidade de usuários para um site genérico, onde há diversos anúncios publicitários. Um fluxo significativo de visitantes acaba clicando nas propagandas, seja intencionalmente ou sem querer – o que gera receita ao dono da página. Além disso, os golpistas usam a logomarca da Caixa de forma indevida para enganar os internautas, o que configura crime.
Um golpe bastante parecido envolvendo a Caixa Econômica Federal foi feito em 2018, e também descoberto pela PSafe. A empresa de segurança diz que, pelas semelhanças, é possível de que se trate da mesma pessoa ou grupo de cibercriminosos, embora não seja possível afirmar com 100% de certeza.

Divulgação/PSafe
Como se proteger
Via de regra, para não cair em golpe no WhatsApp é preciso estar sempre atento ao conteúdo de chats recebidos pelo aplicativo. Links que prometem vantagens são uma grande bandeira vermelha, assim como mensagens que pedem para que você a compartilhe com seus contatos ou solicitam dados pessoais. Também é comum que as mensagens de golpes cheguem com erros gramaticais.
Quem desconfiar de práticas suspeitas no app pode usar uma função nativa para denunciar o perfil do remetente. O recurso está disponível na versão do aplicativo para Android e iPhone (iOS). Além disso, vale conferir o conteúdo preparado pelo TechTudo que lista seis comportamentos que devem ser evitados no WhatsApp para preservar sua segurança. Entre as recomendações, estão a falta da verificação em duas etapas, um método de reforço para proteger a conta e o uso do WhatsApp Web em qualquer computador.
Share on Google Plus

About Cleidiomar Sousa

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Comments

Featured