quinta-feira, 10 de maio de 2018

Fraude no seguro-desemprego bloqueia quase mil benefícios em Parnaíba

 Resultado de imagem para fotos do seguro desemprego
MTE detecta 1.729 fraudes e bloqueia R$ 9,9 milhões em seguro-desemprego no Piauí.
A maioria dos casos foi registrada em Parnaíba, com 924 fraudes bloqueadas. Todas as irregularidades do estado foram na modalidade emprego formal.
Sistema contra fraude detecta irregularidades e bloqueia R$ 9 milhões em seguro desemprego
O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), através do sistema de Detecção e Prevenção à Fraude no Seguro-Desemprego (Antifraude), detectou 1.729 requerimentos irregulares e bloqueou R$ 9,9 milhões do benefício no Piauí. Todos os casos do estado foram na modalidade emprego formal.
A maioria dos casos foi registrada em Parnaíba, com 924 fraudes bloqueadas, totalizando um valor de R$ 5,3 milhões. Depois, destacaram-se Campo Maior, com 477 fraudes e R$ 2,4 milhões; Bom Jesus, que teve 163 requerimentos bloqueados, chegando a R$ 1,1 milhão; Teresina, que em 67 fraudes bloqueadas atingiu R$ 362 mil; e Valença do Piauí, com 43 bloqueios e cerca de R$ 278 mil.
Segundo o auditor fiscal do trabalho da Superintendência Regional do Trabalho no Piauí, Mateus Castro, a fraude pode ser detectada ainda na abertura do processo para aderir ao seguro-desemprego, MTE detecta 1.729 fraudes e bloqueia R$ 9,9 milhões em seguro-desemprego no Piauí
A maioria dos casos foi registrada em Parnaíba, com 924 fraudes bloqueadas. Todos as irregularidades do estado foram na modalidade emprego formal.
Sistema contra fraude detecta irregularidades e bloqueia R$ 9 milhões em seguro desemprego
O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), através do sistema de Detecção e Prevenção à Fraude no Seguro-Desemprego (Antifraude), detectou 1.729 requerimentos irregulares e bloqueou R$ 9,9 milhões do benefício no Piauí. Todos os casos do estado foram na modalidade emprego formal.
A maioria dos casos foi registrada em Parnaíba, com 924 fraudes bloqueadas, totalizando um valor de R$ 5,3 milhões. Depois, destacaram-se Campo Maior, com 477 fraudes e R$ 2,4 milhões; Bom Jesus, que teve 163 requerimentos bloqueados, chegando a R$ 1,1 milhão; Teresina, que em 67 fraudes bloqueadas atingiu R$ 362 mil; e Valença do Piauí, com 43 bloqueios e cerca de R$ 278 mil.
Segundo o auditor fiscal do trabalho da Superintendência Regional do Trabalho no Piauí, Mateus Castro, a fraude pode ser detectada ainda na abertura do processo para aderir ao seguro-desemprego, quando é feito o cruzamento de dados. Já o bloqueio pode ser feito antes, durante ou depois do requerimento.
"Temos duas formas de detecção de fraudes: pelo sistema antifraudes e a outra pela fiscalização do auditor. Pode ser considerada fraude a prestação de informações inconsistentes, seguro desemprego de trabalhador em atuação, entre outros. Durante a fiscalização, o auditor envia um relatório para a Polícia Federal e alguns casos servem para abertura de inquéritos", explicou.
O trabalhador que tiver o benefício bloqueado e se sentir prejudicado pode recorrer a qualquer gerência ou superintendência do Ministério do Trabalho e entrar com recurso administrativo.
Ministério do Trabalho e entrar com recurso administrativo.
Fonte: parnaibapontocom
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...