sexta-feira, 25 de maio de 2018

Homem pula muro de casa e estupra vizinha em Parnaíba



A vítima, que faz uso de remédio controlado, afirma que o ato sexual foi consumado. Ela fez exame de corpo de delito.
Maria Andrislayne afirma ter sido estuprada dentro de casa (Crédito: Rede Meio Norte)
Uma mulher identificada como Maria Andrislayne, de apenas 24 anos, que mora sozinha em uma casa no bairro João XXIII, em Parnaíba, litoral do Piauí, foi surpreendida por um vizinho que pulou o muro da residência da mesma para estuprá-la. O acusado foi identificado como Alessandro Rodrigues de Melo, de 42 anos. O crime ocorreu na última quarta-feira.
De acordo com a os policiais do Grupamento de Atendimento Especializado à Criança, Idoso e Mulher (GAECIM), a vítima travou luta corporal com o acusado e acabou se machucando, ficando com ferimentos expostos na perna. Os policiais militares do Agrupamento foram acionados, se deslocaram de imediato e prenderam o acusado em flagrante de delito.
Promoção da semana do Armazém Paraíba:
Fogão Bali da Esmaltec
“Ao chegar ao local a equipe constatou realmente a presença do abusador e da vítima lá. Então ele foi contido, conduzido para Central de Flagrantes juntamente com a vítima, encaminhada ao Serviço de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência Sexual (Samvis). Ela [vítima] apresentava bastante escoriações, demonstrando que tinha sido forçada realmente pelo abusador”, afirmou a capitã Leonide Rocha, da Polícia Militar. 
A vítima, que faz uso de remédio controlado, confirmou que foi estuprada pelo acusado. “Ele pulou o muro, e eu estava sozinha. Ele quis forçar eu, tentou me roubar”, disse, ao ser questionado se o acusado chegou a praticar o ato sexual: “Chegou. Eu até mandei uma menina ligar para polícia que veio e levou ele preso. Eu fiz o exame de corpo de delito”. 
Segundo a vítima, os médicos receitaram medicamento para evitar uma possível gravidez, já que houve a consumação do ato sexual. 
Uma vizinha da vítima e do acusado demonstrou revolta em entrevista ao repórter Carlos Mesquita. Sem se identificar, ela acredita que o acusado não ficará muito tempo preso. “Eu estava almoçando nessa hora, e estava ouvindo só a zoada: ela correndo, gritando aqui no meio da rua na hora que ele estava ali. É um caso revoltante. Eu tenho muito pena dela”, contou.
Fonte: Rede Meio Norte 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...