150 mil parnaibanos vítimas da violência



150 mil parnaibanos vítimas da violência e do descaso do poder público com o litoral do Piauí.
Faz tempo que a violência em Parnaíba deixou de ser novidade. A cidade já enfrentou várias crises de insegurança na década. Assassinato com requintes de crueldade, explosão de caixas eletrônicos, invasão de residências com espancamento de moradores, incontáveis assaltos à mão armada, entre tantos outros crimes.
Mas, nas últimas semanas, a situação ficou fora de controle, com uma série de delitos e, mais recentemente, com o assassinato de um vigilante dentro de uma unidade do CRAS, no Mendonça Clark. E não foi o primeiro a ser morto em órgão publico em Parnaíba: lembre-se da morte (3 tiros) do vigilante no prédio da FACOE, na Avenida São Sebastião, em 2015.

Local do crime onde mais um cidadão pagou com a vida, vítima do pouco aparato de segurança oferecido pelo estado.
Todos os meses, sem nenhuma folga para o bolso dos cidadãos parnaibanos, a máquina de arrecadação estadual leva muito dinheiro daqui para os cofres do Karnak. O mínimo que o Governo do Estado poderia oferecer era uma estrutura razoável de policiamento e segurança para a cidade. O modelo atual não serve. Na verdade, serve sim, mas para ser motivo de piada nas redes sociais, como o que ocorreu em Luiz Correia, onde bandidos invadiram a delegacia do município para resgatar um preso. Quando bandido perde o medo de invadir até delegacia, a situação está complicada.Por: Ribamar Aragão | Edição: Jornal da Parnaíba
O cidadão parnaibano, pagador de impostos, vive amedrontado e com receio de sair às ruas, enquanto o criminoso, sabedor da fragilidade do aparato policial, age livremente e de forma cada vez mais ousada. Ficou muito fácil ser bandido em Parnaíba.
Quando um parnaibano de consciência alienada vota numa gestão descompromissada com a cidade, faz todos os demais virarem reféns de seu ato irresponsável. E ainda há quem ache que não há nenhuma ligação entre o aumento da violência em Parnaíba e o fraco desempenho das forças de segurança na região.
Hoje, pagamos a conta das escolhas erradas nas urnas. Todos pagam, sem exceção.

 
Share on Google Plus

About Cleidiomar Sousa

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Comments

Featured