sábado, 1 de junho de 2019

Operação Areia Branca: Justiça condena a mais de 40 anos de prisão acusado de liderar roubos e furtos em Cocal-PI e região



O fazendeiro Edmar Francisco da Silva, conhecido popularmente como "Edmar Rosa", que se encontra preso preventivamente desde o dia 10 de outubro de 2017, foi sentenciado a 41 anos e 05 meses de prisão pela prática dos crimes de roubo majorado, nove receptações qualificadas, sendo sete em concurso material e as outras duas em continuidade delitiva, posse ilegal de munições de uso restrito, somado com mais 01 ano e 10 meses de detenção pelo delito de posse ilegal de armas de fogo de uso permitido, além do pagamento total de 1.789 (mil setecentos e oitenta e nove) dias-multa, cada dia-multa equivalente a 1/30 (um trigésimo) de um salário mínimo vigente a época do fato.
A sentença foi dada nesta quinta-feira, dia 30 de maio, pelo juiz titular da Comarca de Cocal-PI, Dr. Carlos Augusto Arantes Júnior. O magistrado ainda negou a ele o direito de recorrer da sentença (em um tribunal superior) em liberdade, o mantendo encarcerado na Penitenciária Mista de Parnaíba-PI, onde permanecerá cumprindo a pena. CLIQUE AQUI e veja a sentença na íntegra
Os outros três réus arrolados no mesmo processo: A senhora Maria Aparecida Pereira da Silva, esposa de Edmar Rosa, e os lavradores Geová Domingos da Silva e Fábio Muniz dos Santos, foram absolvidos de todas as acusações. 
FÁBIO MUNIZ - FUNCIONÁRIO DE CONFIANÇA DE EDMAR ROSA
Fábio Muniz e um comparsa se encontram encarcerados em um presidio do Estado do Piauí pelo crime de roubo praticado contra um casal de idosos. Fábio foi condenado a 10 anos e 22 dias de reclusão a ser cumprido em regime fechado, enquanto o seu comparsa a 07 anos de detenção em regime semiaberto. 




Consta nos autos que no dia 28 de março de 2017, por volta das 18h:30min, na localidade Queimadas, zona rural de Cocal-PI, Fábio armado com um revólver e o seu comparsa com um facão, invadiram uma residência e após luta corporal com uma das vitimas, subtraíram dinheiro, uma espingarda e dois telefones celulares do casal.
Ao tomar conhecimento da prisão de seu patrão, o Edmar Rosa, Fábio, embora com uma perna fraturada decorrente de um acidente de moto, fugiu de Cocal e se escondeu na cidade de Ilha Grande do Piauí, mas o núcleo de inteligência da polícia civil de Cocal descobriu onde ele estava e o prendeu no dia 16 de novembro de 2017. [CLIQUE AQUI E REVEJA]
OPERAÇÃO AREIA BRANCA I e II

A primeira fase da operação "Areia Branca", deflagrada na manhã do dia 29 de novembro 2016 [CLIQUE AQUI E REVEJA], teve como objetivo cumprir um mandado de busca e apreensão em uma fazenda de Edmar de Rosa, situada na localidade Areia Branca, zona rural de Cocal. Edmar era apontado pelas investigações policiais como sendo um dos lideres de uma organização criminosa especializa em roubos e furtos a propriedades rurais de Cocal, dentre outros municípios da região norte dos Estados do Piauí e Ceará.

O serviço de inteligência da Polícia Civil de Cocal-PI, coordenado pela Delegada Daniella Dinali, com as investigações já avançadas, pediram o apoio ostensivo da Polícia Militar e da Guarda Municipal e cumpriram o mandado judicial que resultou na apreensão de quatro caminhonetes modelo D-20, duas motocicletas, joias, materiais de uso agrícola, três animais da espécie bovina, dentre outros produtos advindos de furto e roubo, além de duas espingardas de fabricação artesanal e munições de calibres diversos. 
No momento da batida policial, o alvo, Edmar Rosa, não se encontrava no endereço. As três pessoas que se encontravam no local (os réus absolvidos) receberam voz de prisão e foram postos em liberdade no dia seguinte mediante ao pagamento de fiança.


No andamento do inquérito policial, um homem e seus pais, um casal de idosos, residentes na localidade Alto, zona rural de Piracuruca-PI, procuraram a Delegacia de Cocal para denunciar que reconheceram Edmar Rosa como sendo um dos três homens, que armados de revólveres e uma espingarda, invadiram a residência deles e anunciaram o assalto, na qual as vitimas foram ameaçadas de morte e amarrados. O trio fugiu levando das vitimas uma caminhonete Chevrolet D-20, de cor verde, dentre outros pertences.
Onze meses depois, a polícia logrou êxito ao realizar a segunda fase da operação 'Areia Branca', que teve como objetivo cumprir dois mandados judiciais; um de prisão preventiva em desfavor de Edmar Rosa e o outro de busca e apreensão em sua atual propriedade, situada na região de Campestre, precisamente na localidade Serra do Arco, zona rural de Cocal-PI.Blog do coveiro

Related Posts

Operação Areia Branca: Justiça condena a mais de 40 anos de prisão acusado de liderar roubos e furtos em Cocal-PI e região
4/ 5
Oleh

Subscribe via email

Like the post above? Please subscribe to the latest posts directly via email.

Featured

Comments