MP-PI e OAB-PI protocolam Ação Civil Pública para que o Governo pague o Iaspi/Plamta






Foto: Ascom
O Ministério Público do Estado do Piauí (MP-PI), através da 44ª Promotoria de Justiça de Teresina-PI, e a Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Piauí, protocolaram, na manhã desta quarta-feira (18), uma Ação Civil Pública junto à Justiça Federal do Piauí para que seja realizado o sequestro de R$ 40 milhões da conta única do Estado do Piauí, montante a ser revertido ao Instituto da Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado (IASPI/PLAMTA).
O pedido, de caráter de tutela de urgência, tem como objetivo proteger os direitos dos servidores públicos vinculados ao IASPI e resolver o impasse entre a Secretaria de Estado da Fazenda e o Sindicato dos Hospitais do Piauí (SINDHOSPI). Atualmente, está em atraso o pagamento das faturas correspondentes aos meses de abril e maio, que com o deferimento da liminar, deve ser feito até o dia 31 de julho (terça-feira). Com o sequestro do valor às contas do Governo, deve-se regularizar os serviços de saúde aos servidores públicos do estado, suspendido pelo sindicato por causa da falta de pagamento.
“Ressalte-se que, a rigor, não se trata de sequestro, mas apenas que a Secretaria Estadual de Fazenda cumpra o dever de repassar ao IASPI, imediatamente e em sua integralidade, os valores oriundos da arrecadação mensal, referentes ao IASPSAÚDE (financiamento e coparticipação) e ao PLAMTA, relativos aos servidores inativos, pensionistas e ativos, todos vinculados ao Estado do Piauí. Certamente o juiz deve intimar o Estado para apresentar em 72 horas algumas informações sobre o caso, ou pode logo deferir ou não a liminar”, esclarece o promotor Fernando Ferreira dos Santos.
Mais recentemente, a OAB-PI instaurou procedimento administrativo, com o objetivo de colher informações e realizar outras diligências para apurar o fato ocorrido, tendo em vista que valores foram descontados dos contracheques dos servidores estaduais pelo IASPI/PLAMTA, mas não foram repassados para o SINDHOSPI ou para a rede credenciada.
Para o presidente da Comissão de Direito da Saúde da OAB-PI, Efrén Paulo, o pedido formalizado juntamente com o MP-PI fortalece a causa. “Quando a propositora da ação é consolidada entre OAB-PI e MP-PI ela desloca a competência para a Justiça Federal, uma vez que a OAB enquanto entidade autárquica especial é processada na Justiça Federal. Esperamos que o juiz responsável tenha a sensibilidade de atender o pleito de mais de 200 mil servidores que estão sendo prejudicados”, disse Efren Paulo. 
O pedido foi formalizado pelo Promotor de Justiça da Fazenda Pública, Fernando Ferreira dos Santos; assinado também pelo vice-presidente da OAB-PI, Lucas Villa, pelo presidente da Comissão de Direito da Saúde da OAB-PI, Éfren Paulo e pela Coordenadora Jurídica da OAB-PI, Mayara Vieira da Silva.
Da Redação
redacao@cidadeverde.com
Share on Google Plus

About Cleidiomar Sousa

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Comments

Featured