sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Imagens mostram presos desentupindo fossa e grade de cela caindo na Penitenciária de Parnaíba



O caso foi denunciado ao Tribunal de Contas do Estado do Piauí para averiguar aplicação de recursos de reforma em presídio. G1 buscou a Secretaria de Justiça e aguarda posicionamento.
Detento carrega balde com fezes para desentupir fossa em presídio
Foto: Divulgação/Sinpoljuspi
Um vídeo denuncia a falta de estrutura e a insalubridade em que vivem os presos da Penitenciária Mista de Parnaíba Fontes Ibiapina, Litoral do Piauí. Nas imagens é possível ver detentos carregando baldes com fezes para desentupir a fossa da unidade e a grade de uma cela solta. O G1 buscou a Secretaria de Justiça e aguarda posicionamento.
Veja AQUI vídeo e matéria completa que mostra preso limpando a fossa e carregando baldes com fezes.Por Catarina Costa, G1 PI
Segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), a situação precária na estrutura hidráulica da unidade dificulta o escoamento de dejetos das celas, tornando o ambiente altamente insalubre para presos e servidores.
Grande quase cai sobre agente penitenciário. — Foto: Divulgação/Sinpoljuspi
"A fossa fica em frente a uma cela e é desentupida diariamente pelos presos. A situação atinge até o pátio do pavilhão, que fica cheio de dejetos. Outra situação preocupante são as situações das celas, em algumas delas as grades estão soltas, o que pode facilitar a fuga de detentos", contou o presidente do Sinpoljuspi, Kleiton Holanda.
No vídeo acima, a grade quase cai em cima do agente penitenciário que tenta tirar presos para audiência. Com ajuda dos detentos, o servidor tenta recolocar a grade no lugar, que é apenas encaixada na parede de volta.
Extrato de contrato da construtora para reforma da penitenciária mista de Parnaíba
Foto: Reprodução/Diário Oficial do Piauí
A penitenciária tem capacidade para 169 presos, mas abriga atualmente 658 detentos e mais 70 monitorados. Após duas rebeliões consecutivas, a unidade passou por reforma de emergência em 2016, conforme extrato de contrato da construtora publicado no Diário Oficial, no valor de R$ 1.120.296,75.
Conforme a ordem do serviço, a reforma foi em caráter especial e dispensou licitação. De acordo com o governo do estado, as obras compreenderam a recuperação do sistema elétrico e hidráulico, bem como do teto; reforço das paredes das celas; troca de grades; reforma da parte administrativa e do consultório odontológico; reativação do poço tubular da unidade.
Diante dos flagrantes do vídeo, o Sinpoljuspi enviou um ofício ao Tribunal de Contas do Estado para averiguar a aplicação dos recursos na obra realizada na unidade. O G1 buscou a Secretaria de Justiça e aguarda posicionamento.


 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...